Cabo Polonio: A cidade iluminada por velas

Cabo Polonio: A cidade iluminada por velas

Nota: Se você está apenas buscando informações sobre como chegar e o que fazer em Cabo Polonio, pule para o final do texto onde estão as informações mais práticas. 🙂

Igor, você PRECISA conhecer Cabo Polonio!”. Foi o conselho que mais escutei quando disse aos meus amigos que estava indo conhecer o Uruguai.

Nunca fui muito fã de destinos turísticos mais movimentados, principalmente por causa dos preços abusivos e das pessoas nativas da região sempre te olharem como “o turista que veio gastar dinheiro”. Talvez por isso hesitei um pouco em ir à Cabo Polonio, e só fui parar lá meio que por falta de opção mesmo.

Estava acabando de fazer um trabalho voluntário numa fazenda orgânica no interior de Rocha (mais sobre este lugar no próximo texto!) e, por causa de um erro de cálculo meu e do meu host, acabei ganhando um dia livre antes do meu próximo destino.

Além disso, Rocha está localizada à apenas uma hora de Cabo Polonio, e para reforças os conselhos dos meus amigos brasileiros, o meu host – que era uruguaio mas já tinha viajado de bicicleta pela América do Sul – disse que foi em Cabo Polonio que ele viu o céu mais estrelado da vida.

Como sou fanático por céus estrelados, e o lugar nem estava tão longe, peguei um ônibus e fui.

Cabo Polonio

E valeu MUITO a pena! 🙂

Cheguei na Rodoviária de Cabo Polonio bem cedo, e lá descobri que a parte movimentada da vila, onde estavam as praias e os hotels, ficava à cerca de 7 km de distância.

Meu plano inicial era ir andando para conhecer as tão famosas dunas de Cabo Polonio, mas como só tinha um dia para aproveitar o lugar, resolvi pegar o caminhão que leva a galera da Rodoviária até a parte central. Por pura burrice, acabei gastando os meus últimos 200 pesos nessa brincadeira, o que me deixou apenas com o cartão de crédito como forma de pagamento.

Ter apenas um cartão de crédito, como sei por experiência, não seria problema em qualquer outro lugar do mundo que recebesse a quantidade de turistas que Cabo Polonio recebe todos os anos. Mas como diria os mais velhos, “Cabo Polonio não é qualquer lugar do mundo”.

Mochillão em Cabo Polonio

E quem sou eu para descordar?

Por incrível que pareça, não encontrei um lugar em Cabo Polonio que aceitasse cartão de crédito. Talvez porque na época que fui, a cidade estava praticamente fantasma. Se não fosse por uma brasileira super gente fina que conheci no hostel, gentil o suficiente em aceitar cozinhar para mim e receber a grana por transferência bancária, sinceramente não sei como faria pagar me alimentar e voltar para a rodoviária de caminhão no dia seguinte.

Mas, como sempre, no final tudo deu certo. E eu consegui aproveitar muito bem o meu único dia naquele lugar mágico. 🙂

Hostel Viejo Lobo

Hostel Viejo Lobo

Andei pela praia e vi os lobos marinhos que ficam nas pedras tomando sol durante a manhã. Quando o sol começou a se pôr, resolvi jantar num hostel vizinho, que estava cheio de gente legal e ainda por cima servindo um hamburger vegano no maior estilo “não tem carne, mas você vai sair daqui rolando de tanto comer”.

Apesar de tudo estar perfeito, eu estava ansioso para ver o céu estrelado daquele lugar. Mas quando sai do hostel o que me impressionou não foi o céu – que por sinal estava nublado -, mas sim a forma como as ruas de Cabo Polonio são iluminadas.

Gostaria muito de ter tirado centenas de fotos para mostrar para vocês, mas meu celular estava sem bateria e, sinceramente, tirar fotos naquela hora foi a minha última preocupação!

Imagine uma cidade localizada no meio de várias dunas, sem nenhum tipo de iluminação elétrica ou ruído de carros para incomodar…

Agora imagine que toda as ruas dessa cidade são iluminadas por velas, colocadas nas portas das casas pelos próprios moradores.

Velas em Cabo Polonio

Sério, esse lugar existe.

Reconheço que meu tempo em Cabo Polonio foi bem curto para tirar qualquer conclusão mais detalhada sobre o lugar, mas se acontecer de você estiver passando por lá bem rápido, na baixa temporada, segue algumas dicas:

Como chegar?

A empresa que faz praticamente todas as cidades da costa do Uruguai se chama Rutas Del Sol. Para mais informações sobre horários e preços, visite o site oficial deles: http://www.rutasdelsol.com.uy/

Da Rodoviária de Cabo Polonio até a parte central da vila são 7 km. Os caminhões que fazem o transporte do pessoal saem a cada uma hora na época (Junho de 2016) custavam 200 pesos.

Importante: Estes caminhões não aceitam cartão de crédito! Tem que ser grana mesmo.

O que fazer?

1. Ver os lobos marinhos tomando sol na parte da manhã. Eles ficam sempre perto do Farol, e é importante lembrar que por lei não é permitido chegar mais que 20 metros de distância deles!

Lobos marinhos de Cabo Polonio

Chama lobo-marinho mesmo. Leão-marinho é outra coisa.

2. Subir no Farol, de onde dá pra ver o mar e toda a vila de Cabo Polonio. Custa só 25 pesos e só fica aberto das 9h às 17h.

Farol de Cabo Polonio

Farol de Cabo Polonio

3. Andar pela cidade durante a noite, para ver as velas e o céu super estrelado. Lembre de levar lanterna.

4. Se você vai no verão, dá para curtir os bares com música ao vivo.

Outras informações úteis…

Mesmo no verão, pouquíssimos lugares lá aceitam Cartão de Crédito. Quando aceitam, geralmente existe um valor mínimo de consumo.

É proibido acampar em qualquer lugar de Cabo Polonio. Não arrisque.

Existe uma distância máxima para chegar perto dos lobos marinhos.

Lobos marinhos em Cabo Polonio

Não, você não vai conseguir tirar uma selfie com eles.

Infelizmente a alimentação em Cabo Polonio é bem cara. Então se você está sem grana, vale a pena levar umas coisas para cozinhar no hostel ao invés de ter que comer em restaurante.

O Hostel mais barato (e com Wi Fi) de Cabo Polonio é o Viejo Lobo. Uma noite no quarto compartilhado saiu cerca de 40 reais. Mas ele é bastante pequeno, então se você for durante o verão aconselho muito reservar com bastante tempo de antecedência.

. . .

Gostou? Na próxima semana vou contar como foi a minha semana em Rocha, fazendo trabalho voluntário em um dos lugares mais roots que conheci na vida.

Fique de olho, ou faça parte da nossa lista de e-mails (formulário abaixo) para receber as novidades direto na sua Caixa de Entrada.

Até!

Gostou dos nossos artigos?
Se quiser, podemos te enviar muito mais! Complete os campos abaixo para receber todos os nossos artigos direto na sua caixa de entrada.
E não se preocupe, nós também odiamos spam!